“A caridade é o rosto visível da fé”, declara Arcebispo. Veja como foi a celebração do Dia do Pobre, na Catedral

19.11.2019

“A caridade é o rosto visível da fé”. Com esta afirmação, o Arcebispo Metropolitano Dom Jaime Spengler caracterizou a celebração do Dia do Pobre, organizada pela Dimensão de Justiça Caridade e Paz da Arquidiocese. A atividade realizada na tarde do último domingo (17) encheu de alegria, emoção e esperança o Centro Histórico, na Capital. A programação iniciou às 14h, em frente à Catedral Mãe de Deus com a exposição de produtos e projetos da ação social das paróquias e entidades. Essa mostra permitiu aos participantes conferir a seriedade e diversidade de iniciativas de promoção humana existentes na Arquidiocese.

 

A exposição foi animada pelas apresentações culturais. As músicas e apresentações integraram as lideranças e agentes da caridade, famílias assistidas pelas paróquias e a população em situação de rua. Houve uma participação intensa e vibração com os diversos grupos de Porto Alegre e Guaíba que levaram ao palco expressões lindas dos projetos sociais desenvolvidos pela Igreja com seus parceiros. Também houve prestação de serviço de cortes de cabelo e manicure para a população em situação de rua, promovendo o carinho e o cuidado com as pessoas. Mais de 60 pessoas foram beneficiadas por esse serviço realizado pelas Irmãs da Fraternidade o Caminho e por voluntários.


Um dos momentos emocionantes do Dia do Pobre aconteceu na abertura da celebração da Santa Missa. Um grupo de criança e moradores de rua levaram ao altar a cruz confeccionada pelos detentos da penitenciária de Arroio dos Ratos. Foi um presente dos encarcerados para a celebração. Os corações pregados na cruz traduzem as dores, os sacrifícios e as cicatrizes que cada detento tem dentro de si. A confecção da cruz não foi apenas uma atividade, mas um gesto que proporcionou reflexões profundas sobre os atos humanos e as quedas pessoais.


Em sua homilia, Dom Jaime reforçou que uma fé que não se ocupa com o cuidado e a promoção da vida não é uma fé autêntica. “Iluminados pelo espírito de Deus podemos encontrar no povo sofredor o rosto de Cristo. Os fundamentalismos e os radicalismos não constroem uma sociedade justa, fraterna e pacífica”. Ele acrescentou que todos os que têm fé precisam se empenhar na superação das injustiças e da precariedade das condições de vida de muitos, diante da escandalosa desigualdade social. Não podemos ficar indiferentes. O Arcebispo concluiu a homilia dizendo que “há uma riqueza que jamais envelhece, pela qual vale a pena viver e morrer: a caridade”. No final da celebração, aconteceu a cerimônia de envio dos Pequenos Reis Magos que farão a visita domiciliar no período de Natal e Epifania.


Após a Santa Missa. Foi realizado um grande momento de partilha em frente à Catedral. Foram distribuídos mais de 1,5 mil cachorros quentes doados e preparados pelas equipes da caridade das paróquias da Área Sul de Porto Alegre. Neste momento ocorreu um ato dignificante. Quatro moradores de rua saíram do evento direto para a fazenda de tratamento de dependentes químicos Vivifica-me, localizada no município de Gravataí, dispostos a realizar o tratamento de superação da dependência. Outros cinco já estão na lista de espera para o tratamento.

 

(Texto e fotos: Elton Bozzetto - Edição: Patricia Damaceno/Ascom)


 

 

 

Please reload

Cúria Metropolitana

(51) 3228.6199

Rua Espírito Santo, 95

Bairro Centro Histórico 

CEP 90010-370 | Porto Alegre | RS

Residência Episcopal

Vigário geral

Chancelaria

Arcebispado

Arquivo histórico

Batistério

Ascom

Tribunal Eclesiático

ACESSE TAMBÉM

Administrativo

Departamento Pessoal

Jurídico

Financeiro

Contabilidade

Fraterno Auxílio

Patrimônio

T.I.

Obras

Servus

O Dia do Senhor

Loja Centro de Pastoral

Centro Administrativo

(51) 3083-7800

Av. Sertório, 305

Bairro Navegantes
CEP 91.020-001 | Porto Alegre | RS

© 2019 por ASCOM para Arquidiocese de Porto Alegre